Re#491 Belise Campos – Verde-Água | Poesia Geopolítica Ambiental

Poema de Belise Campos – Verde-Água , presente na nossa antologia Chorando Pela Natureza: Poesia Geopolítica Ambiental. Leia de Graça.

 

►► Espalhe poesia. Apoie o nosso projeto e cresça junto!

https://apoia.se/tomaaiumpoema


Belise Campos – Verde-Água

 

A falta se deitou em mim, 

E ali ficou plantada 

Inerte como capim.

Me embrulhou de pavor e 

Verde culpa do amanhã que não

Chega e do ontem que não

Vai.

A falta se espalhou em meu

Corpo, e só não se infiltrou

No horto colchão absorto 

Porque sedento dela, evaporei-a 

Para dentro, por completo, 

Até o sol não nascer

E quando finalmente a luz se estendeu

À janela, o anoitecer se fechou

Na espera dos meus olhos lodo. 

Somente a falta sentirá a minha

Ausência. 

Rio com esta constatação, feito lago.

Na carência da curva que 

Permaneceu em meu

Lábio, lápide escrita da revelação

Do que é a vida, uma alegria fugaz

– Jaz aqui aquele que a conheceu, 

E até o fim a honrou.

 

Use #tomaaiumpoema

Siga @tomaaiumpoema

_________________________________

Poema:Verde-Água

Poeta: Belise Campos

Voz: Jéssica Iancoski | @euiancoski


A poesia dominará o mundo!

Siga O Toma Aí Um Poema no Instagram

@tomaaiumpoema

Pela vida, nos ajude a espalhar mais poesia!

FAÇA UM PIX DE QUALQUER VALOR <3

[email protected]

ou CNPJ 33.066.546/0001-02

Até mesmo um real nos ajuda a manter o projeto

 

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.